USA, FL (904) 436-1577
  • Argentina Argentina: +54 (11) 5984-1811
  • Brazil Brazil: +55 (21) 3500-1548
  • Chile Chile: +56 (22) 581-4899
  • Spain España: +34 (95) 093-0069
  • Guatemala Guatemala: (502) 2268 1204
  • Mexico Mexico: +52 (33) 1031-2220
  • Panama Panama: +507 (7) 833-9707
  • Peru Peru: +51 (1) 709-7918
  • United States United States: +1 (904) 250-0943

SISTEMA DE CONDUÇÃO

O tomate com fins industriais não envolve alguns tratos culturais que são necessários para o tomate de mesa, como tutoramento e amarrio com sistema de conduçao. Em contrapartida, deve-se ter um forte controle das condições fitossanitárias da área, pois em função do seu cultivo ser rasteiro, cria-se um micro clima bastante favorável à incidência de pragas e doenças, principalmente ao se considerar condições de altas temperaturas.tomate indeterminado con HORTOMALLASO tomate de mesa passa possui tratos culturais específicos que o diferem do tomate industrial. São estes:Amontoa: consiste basicamente em chegar terra no colo (pé) da planta, com o objetivo de aumentar o sistema radicular e com isso a capacidade de absorver nutrientes das plantas. Deve ser realizado 15 a 20 dias após o transplantio, já tendo sido feita a primeira adubação de base.Amarrio: esta operação é realizada com um fitilho de polietileno. O amarrio não pode causar o estrangulamento do caule e tem que garantir a correta condução da planta, geralmente fazem-se cerca de cinco a seis amarrios até o topo. Existem ferramentas que facilitam a operação de amarrio por serem de fácil utilização, como por exemplo o alceador (Figura 1) Foto: Flávia ClementeTomate planta amarradaFigura 1. Planta AmarradaDesbrota: esta prática consiste na eliminação dos brotos quando estes estão com 2 a 5 cm laterais que surgem nas axilas de cada folha, realizando a quebra dos mesmos. O objetivo é reduzir o número de ramos na planta e consequentemente a competitividade por assimilados das pencas, sendo muito funcional para facilitar a aeração e o controle fitossanitário (Figura 2). Foto: Flávia Clemente Tomate desbrotahortomalla en aplicacion horizontal sobre tomates en campo abierto con acolchado y fertiriegoFigura 2. DesbotraPoda ou capação: é uma operação que consiste na eliminação do broto terminal das hastes, realizada exclusivamente em materiais de hábito de crescimento indeterminado. Com a poda tem-se maior controle do crescimento da planta, sobre a floração e frutificação, limitando o número de pencas, garantindo frutos mais graúdos. Todas as cultivares de crescimento determinado dispensam a poda ou capação (Figura 3). Foto: Flávia Clemente Planta de tomate podadoFigura 3. Planta podada Poda de folhas e raleio de frutos: a poda das folhas no tomateiro é recomendada para melhorar o arejamento, aumentado a eficiência fotossintética e principalmente reduzir os riscos de incidência de pragas e doenças, assim como facilitar seu controle. A eliminação das folhas é de baixo para cima, devendo ser cortadas apenas aquelas abaixo das pencas já colhidas. O raleio dos frutos é indicado para reduzir, entre eles, a competitividade por assimilados na planta. São deixados na planta os frutos com maior potencial para bom desenvolvimento. O número de frutos deixados por penca depende do grupo em questão. Para o grupo santa Cruz ou Italiano, recomenda-se deixar de seis a oito frutos por penca e nas pencas superiores de quatro a seis. No grupo salada, nas primeiras três pencas deixar em torno de quatro a cinco frutos, acima destas, de três a quatro. Cobertura do solo: É realizada com o objetivo de proteger o solo e o tomateiro de plantas invasoras e agentes causadores de doenças, como doenças fúngicas, tanto por materiais inertes ou restos de culturas anteriores, a cobertura do solo (Figuras 4 e 5).Fotos: Flávia Clemente Cobertura com mulching Cobertura morta Figura 4. Cobertura com mulching Figura 5. Cobertura MortaTutoramento: a prática de tutoramento do tomateiro para consumo in natura é fundamental para assegurar maior qualidade do fruto, tanto por fatores diretos como indiretos (maior aeração, menor incidência de problemas causados por doenças e pragas, maior facilidade de controle fitossanitário, evitar pisoteio de frutos). São adotados diversos tipos de tutoramento, por exemplo: 1. Tipo cerca cruzada: é um sistema relativamente simples, tradicional, que consiste na colocação de estacas de bambu com 1,80 a 2,20m de comprimento, apoiadas em uma madeira inclinada sobre um fio de arame bem esticado, conforme Figura 6 e Figura 7. Fonte: Alvarenga, 2004 Foto: Ailton Reis Modelo de estaca Tomate estaqueado Figura 6. Estaca cruzada Figura 7. Planta de tomate estaqueado2. Tipo estacas individuais vertical: as estacas de bambu roliças são cortadas com 2,30m e deverão ser fincadas no solo cerca de 0,50m (Figuras 8 e 9). Fonte: Alvarenga, 2004 Foto: Flávia Clemente Tomate em estaca vertical Tomate em estaca vertical 2 Figura 8. Estaca individual Figura 9. Planta de tomate em estaca individual 3. Uso de fitilho e arame para cultivares de crescimento indeterminado: um dos sistemas mais adotados, este sistema de tutoramento usa fitilhos e consiste em um arame na horizontal sobre as fileiras de tomate, com altura de 1,80 a 2,00m. As plantas serão amarradas com o fitilho que será preso no arame, a medida que a planta cresce, solta-se o fitilho, envolve a nova parte da planta e prende o fitilho novamente (Figuras 10 e 11).Foto: Ailton Reis Foto: Flavia Clemente Tomate estaqueado com fitilho Tomate estaqueado com arame Figura 10. Tomate estaqueado com fitilho Figura 11. Tomate estaqueado com arame4. Tipo meia estaca para cultivares de crescimento determinado: neste método são colocados moirões de madeira ou bambu de madeira com 1,30m de altura, mais baixos que o anterior. Posteriormente passa-se um fio de arame de 0,40 a 0,50m do solo, a cada cinco plantas finca-se um bambu para sustentação do arame.SISTEMA DE CONDUÇÃO CRESCIMENTO DETERMINADOExistem diversos sistemas de condução adotados pelos produtores, com características regionais específicas, que têm a finalidade de aumentar a produtividade, reduzir custos, melhorar a luminosidade e aeração com o objetivo de minimizar a incidência de pragas e doenças e facilitar os tratos fitossanitários. No caso da condução de cultivares ou híbridos de hábito de crescimento determinado, que é indicada para plantas que possuem crescimento limitado pela emissão de uma inflorescência terminal. São plantas de 0,70 a 1,20 m de altura que possuem entre 8 e 12 pencas conduzidas em 3 a 4 hastes/planta.A condução é feita realizando-se a desbrota da planta na altura do primeiro ramo floral, a partir daí, permite-se que a planta emita suas novas brotações naturalmente.CRESCIMENTO INDETERMINADOEstas variações se caracterizam principalmente pelo número de hastes por planta e de planta por cova, visando a maior qualidade e o peso final do produto, pois atende um mercado extremamente exigente. Considerando cultivares de polinização aberta, onde o custo das sementes é menor, são colocadas duas sementes por células da bandeja e não é feito desbaste, pois as duas plantas são conduzidas na mesma cova, com uma haste cada uma.Outro exemplo de condução bem similar é, quando o produtor visa um mercado mais exigente que requer frutos mais graúdos. Para conseguir estes frutos, é semeada uma só planta por cova, conduzida em somente uma haste. Pode-se também conduzir esta planta com duas hastes, porém, para diminuir a competitividade dos frutos por assimilados, é feito um desbaste de frutos nas pencas.Foto: Flávia Clemente Foto: Ailton ReisFoto: Flávia Clemente Condução de tomate com uma haste Condução de tomate com duas hastes Condução de duas plantas de tomate com uma haste cada Figura 12. Planta com 1 (uma) hasteFigura 13. Planta com 2 (duas) hastesFigura 14. Duas plantas com 1(uma) haste cadaAutor(es): Flávia Maria V. T. Clemente ; José Lindorico de Mendonça ; Marcos A. Alvarengahttp://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/tomate/arvore/CONT000fa2qor2r02wx5eo01xezlshcwkfx5.html

HORTOMALLAS

HORTOMALLAS produz e promove malhas agrícolas ( de apoio e vegetais treliça trellising ) que melhoram a qualidade das culturas . Nossa missão é aumentar a rentabilidade das culturas vegetais tutoria que precisam de apoio em vez de usar NETS RAFIA deitado manualmente a partir de 1994 ajudou os agricultores a melhorar sua colheita de pepinos, tomates , melões, abóboras , feijões, pimentas , pimentões e mais vegetais eles estão exigindo treliças . HORTOMALLAS é perfeito para solonaceas cucurbitáceas e têm melhores condições sanitárias , aumentando a exposição solar e sistema de brix . Além da diminuição óbvia nos custos de trabalho e de produtos químicos , isto é conseguido usando HORTOMALLAS prolongar a vida da planta , permitindo que a colheita mais e melhor qualidade do produto ! Diga-nos, nossos engenheiros agrônomos proporcionar-lhes assistência especializada através Iberia e as Américas !

Leave a comment

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.