menu
Buscar:
Panal
Abeja Abeja Abeja Abeja
Galería
Videos
Artículos
Whatsapp
Mail
Chat
EFEITOS DA SOMBRA EM TOMATES E PEPINOS DE ESTUFA

EFEITOS DA SOMBRA EM TOMATES E PEPINOS DE ESTUFA

Resumo

Malha/Rede de sombreamento OBAMALLA® instalada em micro-túnel em um cultivo de hortaliças/vegetais.
Malha/Rede de sombreamento OBAMALLA® instalada em micro-túnel em um cultivo de hortaliças/vegetais.

Foi feita uma análise do meio ambiente em Pietermaritzburg, África do Sul (30 ° S) dentro de um túnel de plástico sem e com malha/rede de sombreamento de 30% e ao ar livre com malha/rede de sombreamento de 15 e 40%, e foi medido seu efeito nos tomates e pepinos. A densidade de radiação total, a densidade do fluxo radiante e o espectro de radiação foram tipicamente reduzidos pelo plástico e pela diferença na densidade da malha/rede de sombreamento. Em abril (outono), as densidades do fluxo radiante atingiram 750 W m-2, reduzindo para 450 W m-2 com plástico e 300 W m-2 menos de 30% com malha/rede de sombreamento.

As temperaturas do ar sob a sombra no interior do plástico não eram diferentes das do plástico apenas devido ao movimento do ar livre entre esses dois ambientes dentro de um túnel, mas sob as malhas/redes as temperaturas do ar eram sempre mais baixas, dependendo da quantidade de sombreamento. Em média, as plantas sombreadas se adaptarão ao seu meio ambiente produzindo uma área foliar maior, mas um sistema radicular menor, associado ao aumento da resistência ao movimento da água nas folhas. Os pepinos sombreados produziram menos matéria seca total e proporcionaram mais matéria seca nas folhas e caules/talos e menos nas raízes e nos frutos. As taxas líquidas de assimilação foram mais altas nas plantas não sombreadas.

Os rendimentos de tomate eram melhores sob 15% de sombra em comparação com os que estavam sob o plástico e com 40% de sombra ao ar livre.

A partir dos dados da produção agrícola, foi verificado que a intensidade de sombreamento não deve exceder os 35%. A análise do microclima da estufa com tela térmica e do balanço energético mostrou que o sombreamento é necessário desde meados da primavera, enquanto que mesmo o sombreamento de aproximadamente 50% não foi suficiente para resfriar a estufa durante o meio-dia nos dias de verão.

Resumo

Malha/Rede de sombreamento OBAMALLA® instalada em micro-túnel em um cultivo de hortaliças/vegetais.
Malha/Rede de sombreamento OBAMALLA® instalada em micro-túnel em um cultivo de hortaliças/vegetais.

Foi feita uma análise do meio ambiente em Pietermaritzburg, África do Sul (30 ° S) dentro de um túnel de plástico sem e com malha/rede de sombreamento de 30% e ao ar livre com malha/rede de sombreamento de 15 e 40%, e foi medido seu efeito nos tomates e pepinos. A densidade de radiação total, a densidade do fluxo radiante e o espectro de radiação foram tipicamente reduzidos pelo plástico e pela diferença na densidade da malha/rede de sombreamento. Em abril (outono), as densidades do fluxo radiante atingiram 750 W m-2, reduzindo para 450 W m-2 com plástico e 300 W m-2 menos de 30% com malha/rede de sombreamento.

As temperaturas do ar sob a sombra no interior do plástico não eram diferentes das do plástico apenas devido ao movimento do ar livre entre esses dois ambientes dentro de um túnel, mas sob as malhas/redes as temperaturas do ar eram sempre mais baixas, dependendo da quantidade de sombreamento. Em média, as plantas sombreadas se adaptarão ao seu meio ambiente produzindo uma área foliar maior, mas um sistema radicular menor, associado ao aumento da resistência ao movimento da água nas folhas. Os pepinos sombreados produziram menos matéria seca total e proporcionaram mais matéria seca nas folhas e caules/talos e menos nas raízes e nos frutos. As taxas líquidas de assimilação foram mais altas nas plantas não sombreadas.

Os rendimentos de tomate eram melhores sob 15% de sombra em comparação com os que estavam sob o plástico e com 40% de sombra ao ar livre.

A partir dos dados da produção agrícola, foi verificado que a intensidade de sombreamento não deve exceder os 35%. A análise do microclima da estufa com tela térmica e do balanço energético mostrou que o sombreamento é necessário desde meados da primavera, enquanto que mesmo o sombreamento de aproximadamente 50% não foi suficiente para resfriar a estufa durante o meio-dia nos dias de verão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cuadro verdePesquisar tópico de interesse