menu
Buscar:
Panal
Abeja Abeja Abeja Abeja
Galería
Videos
Artículos
Whatsapp
Mail
Chat
CANHÕES ANTI-GRANIZO NA GUERRA CONTRA O CLIMA

CANHÕES ANTI-GRANIZO NA GUERRA CONTRA O CLIMA

Os canhões anti-granizo são geradores de ondas usados para deter a formação de granizo na atmosfera quando a tempestade ainda está se desenvolvendo.

Uma carga explosiva de gás acetileno é inflamada na câmara inferior da máquina, fazendo com que a energia passe através do pescoço até ao cone, formando uma poderosa onda de choque claramente audível com um som sibilante característico, que viaja na velocidade do som através das nuvens e detendo o granizo antes que se torne um problema.

Esse processo é repetido a cada quatro segundos durante o período em que a tempestade se aproxima e até que esta tenha abandonado a área, fazendo com que o que teria sido uma tempestade de granizo se transforme em neve derretida; é crucial que o canhão esteja ativo quando a tempestade se aproxima para impedir que o núcleo de granizo se solidifique, pois, uma vez formado, não existe forma de evitar o dano.

Os canhões anti-granizo foram criados no século XVIII, mas os maiores avanços foram observados nos últimos 30 anos. A área protegida por um único canhão tem aproximadamente 500 metros de raio, diminuindo sua eficácia quanto maior seja a distância. Agora também são controlados por sistemas de radar que melhoram a eficácia e facilitam seu uso em áreas onde as tempestades são mais frequentes.

A função do canhão anti-granizo é deter o granizo que se forma na atmosfera.
A função do canhão anti-granizo é deter o granizo que se forma na atmosfera.

Críticas

Os canhões são um método de controle de desastres que não carece de detratores, especialmente porque as evidências científicas que atestam sua eficácia são muito escassas. Por exemplo, o trovão é uma onda de choque muito mais poderosa e geralmente ocorre nas mesmas tempestades nas quais o granizo é gerado, no entanto, parece não afetar seu desenvolvimento.

Até agora, é muito difícil encontrar algum especialista na área que valide a eficácia dos canhões de granizo, mas como não existem evidências em contrário, os agricultores em alguns lugares preferem correr o risco, em vez de pagarem seguros muito altos contra desastres naturais, especialmente em áreas onde as tempestades são mais comuns.

Os vizinhos que residem nas áreas onde esses equipamentos são usados costumam apresentar queixas devido à contaminação sônica que estes causam, provocando disputas sobre se devem ser usados ou não, principalmente porque sua eficácia ainda não foi comprovada.

Outra complicação é que muitos dos agricultores acreditam que o uso de canhões anti-granizo os está privando da chuva de que precisam tanto, e embora os cientistas descartem essa possibilidade, sob o argumento de que as ondas são inofensivas e o único problema é a contaminação sonora, a discussão ainda continua.

Os canhões anti-granizo são usados como um método de controle de desastres.
Os canhões anti-granizo são usados como um método de controle de desastres.

Reduzindo custos

Muitos horticultores de sucesso estão usando canhões anti-granizo durante décadas para proteger suas plantações de alfaces, couves, tomates e outros vegetais que são embalados para saladas. Um dos mais famosos tem suas plantações no Colorado, em uma instalação na qual tem 8 canhões que cobrem um raio de até 500 quilômetros. Os proprietários da plantação preferem pagar pela instalação dos canhões do que pelo preço exorbitante do seguro para terrenos de tal extensão, mesmo sabendo que a ciência não demonstrou sua eficácia quando se trata de combater tempestades.

Durante a temporada de cultivo de 2005, os canhões foram usados em sete ocasiões, com duração média de uma hora e 20 minutos. O som deles, que lembra fogos de artifício, é reduzido com fardos de palha empilhados ao redor para absorver o som, embora as casas mais próximas se encontrem a cerca de 500 quilômetros. A essa distância ou a uma distância maior, as pessoas comparam o som ao de um caminhão a Diesel.

Mas, apesar das medidas tomadas para reduzir de alguma forma o som dos canhões, a disputa continua e provocou novas controvérsias, especialmente nos lugares mais áridos e nas famílias de valores religiosos mais enraizados que garantem que modificar o clima é brincar com Deus.

E, em resumo, como na maioria das disputas no árido oeste, tudo se resume a uma luta por água preciosa.

Uma das vantagens do uso de canhões anti-granizo é que ajudam a reduzir custos.
Uma das vantagens do uso de canhões anti-granizo é que ajudam a reduzir custos.

Provocando a mãe natureza

Em locais com baixa pluviosidade, especialmente em épocas de seca, os fazendeiros começam a culpar as lavouras onde são utilizados canhões anti-granizo, alegando que, após serem disparados, notaram diferenças nos padrões dos ventos, um cheiro estranho no ar e um sabor incomum na boca.

Isso provocou muitos problemas entre os fazendeiros que esperam ansiosos pela chuva, e os horticultores que procuram proteger as hortas do granizo, o que garante que as pessoas na realidade só reclamam dos canhões como forma de liberar sua frustração em tempos difíceis.

Dizem que quando o canhão anti-granizo é disparado, altera os padrões do vento e deixa um cheiro estranho.
Dizem que quando o canhão anti-granizo é disparado, altera os padrões do vento e deixa um cheiro estranho.

Um pouco de história sobre os Canhões Anti-Granizo

Os canhões anti-granizo têm sido usados e também desprestigiados durante séculos. Em meados do século XIX, os italianos disparavam contra as nuvens que ameaçavam suas hortas e vinhedos, pequenos canhões cheios de pólvora.

Na edição da revista “Ciência Popular”, de outubro de 1919, estava escrito na capa “Os guerreiros anti-granizo e seus estranhos artefatos” acompanhado de uma ilustração de alguns canhões apontando para o céu.

“Em 1919 os canhões anti-granizo foram desacreditados, mas as pessoas que pretendem mudar o clima se recusam a desistir”, dizia uma manchete há quase 90 anos.

Hoje, os principais fabricantes de canhões anti-granizo vendem seus equipamentos por nada menos que $50.000 a unidade, que provê cobertura em um raio de cerca de 500 quilômetros e, embora eles próprios não consigam demonstrar ou dar qualquer garantia de sua eficácia, recusam baixar os preços, alegando que, embora não consigam evitar completamente o granizo, dá paz de espírito aos fazendeiros, dado que não na realidade não provocam nenhum dano. Um fabricante garante o seguinte: “Você pode enganar as pessoas uma vez, mas não poderá enganar a vida inteira; se os canhões não tivessem utilidade, as pessoas não os comprariam”. No entanto, os cientistas chamam aos canhões anti-granizo, o vudu do clima. Então a pergunta poderia ser: quem engana quem?

Outro nome pelo qual os canhões anti-granizo são conhecidos é o vudu do clima.
Outro nome pelo qual os canhões anti-granizo são conhecidos é o vudu do clima.

Obtendo um compromisso

Apesar da falta de evidências que comprovem sua eficácia, os canhões ainda continuam em uso, mas agora são regulados na maioria dos locais. Nos casos em que os proprietários dos pomares obtiveram uma permissão prévia por 5 anos, agora são concedidas apenas por 1 ano e são obrigados a coletar informações sobre o clima através do uso de vídeos durante as tempestades; assim, são organizadas reuniões para avaliar as informações coletadas em busca de evidências convincentes de sua eficácia.

Na HORTOMALLAS®, você pode encontrar uma maneira eficaz, econômica e simples de proteger suas hortas/pomares e cultivos do granizo, graças a uma malha/rede de sombreamento que também serve para proteger do granizo e outros elementos.

Os canhões anti-granizo são geradores de ondas usados para deter a formação de granizo na atmosfera quando a tempestade ainda está se desenvolvendo.

Uma carga explosiva de gás acetileno é inflamada na câmara inferior da máquina, fazendo com que a energia passe através do pescoço até ao cone, formando uma poderosa onda de choque claramente audível com um som sibilante característico, que viaja na velocidade do som através das nuvens e detendo o granizo antes que se torne um problema.

Esse processo é repetido a cada quatro segundos durante o período em que a tempestade se aproxima e até que esta tenha abandonado a área, fazendo com que o que teria sido uma tempestade de granizo se transforme em neve derretida; é crucial que o canhão esteja ativo quando a tempestade se aproxima para impedir que o núcleo de granizo se solidifique, pois, uma vez formado, não existe forma de evitar o dano.

Os canhões anti-granizo foram criados no século XVIII, mas os maiores avanços foram observados nos últimos 30 anos. A área protegida por um único canhão tem aproximadamente 500 metros de raio, diminuindo sua eficácia quanto maior seja a distância. Agora também são controlados por sistemas de radar que melhoram a eficácia e facilitam seu uso em áreas onde as tempestades são mais frequentes.

A função do canhão anti-granizo é deter o granizo que se forma na atmosfera.
A função do canhão anti-granizo é deter o granizo que se forma na atmosfera.

Críticas

Os canhões são um método de controle de desastres que não carece de detratores, especialmente porque as evidências científicas que atestam sua eficácia são muito escassas. Por exemplo, o trovão é uma onda de choque muito mais poderosa e geralmente ocorre nas mesmas tempestades nas quais o granizo é gerado, no entanto, parece não afetar seu desenvolvimento.

Até agora, é muito difícil encontrar algum especialista na área que valide a eficácia dos canhões de granizo, mas como não existem evidências em contrário, os agricultores em alguns lugares preferem correr o risco, em vez de pagarem seguros muito altos contra desastres naturais, especialmente em áreas onde as tempestades são mais comuns.

Os vizinhos que residem nas áreas onde esses equipamentos são usados costumam apresentar queixas devido à contaminação sônica que estes causam, provocando disputas sobre se devem ser usados ou não, principalmente porque sua eficácia ainda não foi comprovada.

Outra complicação é que muitos dos agricultores acreditam que o uso de canhões anti-granizo os está privando da chuva de que precisam tanto, e embora os cientistas descartem essa possibilidade, sob o argumento de que as ondas são inofensivas e o único problema é a contaminação sonora, a discussão ainda continua.

Os canhões anti-granizo são usados como um método de controle de desastres.
Os canhões anti-granizo são usados como um método de controle de desastres.

Reduzindo custos

Muitos horticultores de sucesso estão usando canhões anti-granizo durante décadas para proteger suas plantações de alfaces, couves, tomates e outros vegetais que são embalados para saladas. Um dos mais famosos tem suas plantações no Colorado, em uma instalação na qual tem 8 canhões que cobrem um raio de até 500 quilômetros. Os proprietários da plantação preferem pagar pela instalação dos canhões do que pelo preço exorbitante do seguro para terrenos de tal extensão, mesmo sabendo que a ciência não demonstrou sua eficácia quando se trata de combater tempestades.

Durante a temporada de cultivo de 2005, os canhões foram usados em sete ocasiões, com duração média de uma hora e 20 minutos. O som deles, que lembra fogos de artifício, é reduzido com fardos de palha empilhados ao redor para absorver o som, embora as casas mais próximas se encontrem a cerca de 500 quilômetros. A essa distância ou a uma distância maior, as pessoas comparam o som ao de um caminhão a Diesel.

Mas, apesar das medidas tomadas para reduzir de alguma forma o som dos canhões, a disputa continua e provocou novas controvérsias, especialmente nos lugares mais áridos e nas famílias de valores religiosos mais enraizados que garantem que modificar o clima é brincar com Deus.

E, em resumo, como na maioria das disputas no árido oeste, tudo se resume a uma luta por água preciosa.

Uma das vantagens do uso de canhões anti-granizo é que ajudam a reduzir custos.
Uma das vantagens do uso de canhões anti-granizo é que ajudam a reduzir custos.

Provocando a mãe natureza

Em locais com baixa pluviosidade, especialmente em épocas de seca, os fazendeiros começam a culpar as lavouras onde são utilizados canhões anti-granizo, alegando que, após serem disparados, notaram diferenças nos padrões dos ventos, um cheiro estranho no ar e um sabor incomum na boca.

Isso provocou muitos problemas entre os fazendeiros que esperam ansiosos pela chuva, e os horticultores que procuram proteger as hortas do granizo, o que garante que as pessoas na realidade só reclamam dos canhões como forma de liberar sua frustração em tempos difíceis.

Dizem que quando o canhão anti-granizo é disparado, altera os padrões do vento e deixa um cheiro estranho.
Dizem que quando o canhão anti-granizo é disparado, altera os padrões do vento e deixa um cheiro estranho.

Um pouco de história sobre os Canhões Anti-Granizo

Os canhões anti-granizo têm sido usados e também desprestigiados durante séculos. Em meados do século XIX, os italianos disparavam contra as nuvens que ameaçavam suas hortas e vinhedos, pequenos canhões cheios de pólvora.

Na edição da revista “Ciência Popular”, de outubro de 1919, estava escrito na capa “Os guerreiros anti-granizo e seus estranhos artefatos” acompanhado de uma ilustração de alguns canhões apontando para o céu.

“Em 1919 os canhões anti-granizo foram desacreditados, mas as pessoas que pretendem mudar o clima se recusam a desistir”, dizia uma manchete há quase 90 anos.

Hoje, os principais fabricantes de canhões anti-granizo vendem seus equipamentos por nada menos que $50.000 a unidade, que provê cobertura em um raio de cerca de 500 quilômetros e, embora eles próprios não consigam demonstrar ou dar qualquer garantia de sua eficácia, recusam baixar os preços, alegando que, embora não consigam evitar completamente o granizo, dá paz de espírito aos fazendeiros, dado que não na realidade não provocam nenhum dano. Um fabricante garante o seguinte: “Você pode enganar as pessoas uma vez, mas não poderá enganar a vida inteira; se os canhões não tivessem utilidade, as pessoas não os comprariam”. No entanto, os cientistas chamam aos canhões anti-granizo, o vudu do clima. Então a pergunta poderia ser: quem engana quem?

Outro nome pelo qual os canhões anti-granizo são conhecidos é o vudu do clima.
Outro nome pelo qual os canhões anti-granizo são conhecidos é o vudu do clima.

Obtendo um compromisso

Apesar da falta de evidências que comprovem sua eficácia, os canhões ainda continuam em uso, mas agora são regulados na maioria dos locais. Nos casos em que os proprietários dos pomares obtiveram uma permissão prévia por 5 anos, agora são concedidas apenas por 1 ano e são obrigados a coletar informações sobre o clima através do uso de vídeos durante as tempestades; assim, são organizadas reuniões para avaliar as informações coletadas em busca de evidências convincentes de sua eficácia.

Na HORTOMALLAS®, você pode encontrar uma maneira eficaz, econômica e simples de proteger suas hortas/pomares e cultivos do granizo, graças a uma malha/rede de sombreamento que também serve para proteger do granizo e outros elementos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cuadro verdePesquisar tópico de interesse